Tutorial: um pequeno atalho que poupará muitos cliques

Tutorial: um pequeno atalho que poupará muitos cliques

Comando, em inglês significa ‘comando’, ‘ordem’, ‘comando’. Bem, essa chave que encontramos nos teclados da Apple é mais interessante do que parece e é por isso que hoje trago para vocês um pequeno truque com essa chave “simples” como protagonista e que você vai aliviar um dedo indicador mínimo para fazer tantos ‘cliques’ do mouse / trackpad. Vá em frente.

Tutorial: um pequeno atalho de teclado que vai economizar muitos cliques

É verdade que para usar este “truque“Com todo o seu potencial, uma série de circunstâncias deve surgir em nosso Mac que não são muito difíceis de produzir, mas são um tanto concretos. Para que você entenda o que vamos alcançar com isso tutorial, Devo primeiro explicar a você o que é o “complicaçãoEste pequeno atalho nos ajudará a simplificar facilmente.

Quando você tem muitas janelas de aplicativos abertas em seu Mac, porque você faz várias coisas ao mesmo tempo, você tem todas elas sobrepostas em diferentes “camadas”, Ou seja, uma janela abaixo da outra e assim por diante (se você gosta do pedido, com certeza você tem um tique e você mesmo os ordena de modo que não seja um caos). Com os efeitos sombra difusa aplicada pelo sistema operacional, este efeito de organização por “camadas” (uma acima / abaixo da outra), em que em cada uma dessas camadas encontramos um janela de um aplicativo.

Veja a foto abaixo, e aviso como pode ser visto que as janelas estão “separadas” umas das outras, tanto quanto profundidade refere-se (as próprias sombras das janelas os denunciam). Cada um deles está em uma camada inferior que a anterior de acordo com estamos sobrepondo mais janelas de novos aplicativos abertos. A janela que está no topo é a que está ativo, aquele com o ‘foco‘é aquele em que estamos’ operando ‘.

16-600x384

Na imagem é o caso de eu ter o aplicativo aberto ‘Notas‘(é a janela / aplicativo ativo) que é o aplicativo que eu uso, enquanto para “sob” Estou com o iTunes aberto tocando música, também tenho o aplicativo Visão Anterior com uma foto que quero retocar um pouco e, finalmente, também tenho uma janela de Localizador onde eu tenho que verificar se há um arquivo específico que estou procurando e que deve estar na minha pasta ‘Baixar‘. Eu tenho tudo aberto neste exemplo, mas apenas o aplicativo Notes é aquele com o ‘foco‘, é portanto a janela ativa na qual estou trabalhando agora (seguindo o exemplo).

O importante é saber que os aplicativos que não estão na janela ativa podem ser operados se pressionarmos a tecla CMD e clicarmos onde for apropriado

Agora é fácil pensar que se eu quiser mudar música (sem usar as teclas de função F7 ou F9 do teclado, estou me referindo a fazer clique no próprio reprodutor do iTunes), ou se eu quiser girar 90º a imagem ‘Preview’ ou se eu quiser consultar algo no Localizador, Terei que ‘clicar’ na janela em que desejo atuar, para doar daí o ‘foco’, ou seja, é a janela ativa e assim poder trabalhar sobre aquela janela.

Exemplo explicativo; isto “normal“Seria, se eu quiser ir para a música, clicar em algum lugar na janela do iTunes e, em seguida, nessa janela (iTunes) teria o foco e se tornaria a janela superior, a primeira (e o aplicativo Notas se tornaria o segundo e estaria uma camada atrás). Com isso, agora posso clicar no player iTunes calmamente e parta da música ou o que quer que você queira fazer com o iTunes. Outra forma de conseguir da mesma forma “normal”É pressionar F3 (Missão Ao controle, A tecla F3 por padrão para ver todas as janelas e áreas de trabalho abertas para clicar no aplicativo ou janela em que queremos atuar) e escolher iTunes para que se torne o aplicativo ativo e assim agir sobre ele.

26-600x384

Esperando que eu seja encontrado está entendido Bem, o que eu quero explicar, agora, eu resumo tudo dizendo que para atuar na janela de um aplicativo aberto você tem que dar a ele o ‘foco‘, quer dizer que se torna a janela ativo. E então podemos agir nessa janela desse aplicativo.

Bem, não, não deveria ser assim necessariamente. Se pegarmos a situação do meu exemplo, o da imagem anterior, e pressionamos a tecla CMD (comando), e nós fazemos clique nos ‘botões’ das janelas (aplicativos) que estão abaixo daquele com o foco (janela ativa), podemos atuar nesses aplicativos sem perder o foco no aplicativo que temos ativo. Deve ser dito que tem certas limitações, como o em dobro clique.

Seguindo meu exemplo, se eu não toco em nada, ou seja, mantenho o foco no app Notas, e pulso CMD enquanto eu clico no player iTunes que está “abaixo”, o OS X mudará a música seguindo meu “instrução”Sem eu perder o foco do aplicativo Notas. Com o qual evito ter que ir de um aplicativo para outro fazendo cliques em ambas as janelas para dar-lhes e tirar o ‘foco’. Mas posso fazer mais, pois sim eu guardo pressionou a tecla CMD e eu clico em ‘Baixar‘na barra lateral da janela do Finder onde tenho o arquivo que procuro, não perderei o foco no aplicativo de notas e poderei ver se isso arquivo O que procuro está nessa pasta. Da mesma forma, poderia, sem nunca perder o foco do aplicativo Notas, vire minha foto pressionando o ícone correspondente no aplicativo Visão Anterior que também está ‘abaixo’.

34-600x375

Tudo isso é possível se mantivermos pressionada a tecla CMD (comando) e nós fazemos clique em botões e ações de janelas de aplicativos abertas e que não eles têm o foco, ou seja, não são a janela / aplicativo ativo. Dependendo do que estamos fazendo, pode haver mais ou menos Utilitário este atalho. O importante é aprender que operar os aplicativos que não estão na janela ativa se pressionarmos a tecla CMD e nós fazemos clique onde aplicável.

Mas a coisa não termina aí. Se pressionarmos a tecla ALT (função) e clicamos em um ‘botão’em uma janela / aplicativo que não tem o’ foco ‘, quase isso magicamente OS X irá esconder todas as janelas abertas e apenas nos deixará visível o aplicativo / janela que temos ‘tocado‘com a tecla ALT pressionada. Isso é tudo contrário ao que foi explicado acima, mas pode ser útil se você quiser “limpar”Sua área de trabalho e foco em um aplicativo específico que não era o ativo.