Os funcionários da Bq catalogam as declarações do cofundador como mentiras

Os funcionários da Bq catalogam as declarações do cofundador como mentiras

Ontem nós avisamos que fontes bq internas vazou informações para o Confidencial indicando que a empresa ele tinha começado a demitir seu cajado para iniciar uma nova etapa onde será apoiada a terceirização de empregos. Dada esta informação, Rodrigo del Prado, Cofundador e vice-diretor do bq, defendeu-se das acusações, alegando que essas demissões eram normais devido ao “períodos sazonais requerem mais funcionários“ao negar que não estejam terceirizando seu serviço, depois dessas palavras, os trabalhadores não tiveram outra escolha a não ser mostrar a cara novamente e comentar o que realmente está acontecendo.

bq Aquaris X5 Plus - capa

Na forma de uma carta aberta, e que já se tornou viral (menos nos sites de telefonia importantes, onde podemos encontrar belos infomerciais) nas redes sociais, Encontramos a verdadeira face do bq, e isso nada mais é do que eles estão dispensando todas as pessoas que podem, a ponto de os funcionários serem orientados a procurar colegas que sejam dispensáveis. Como muitos se recusam a fazê-lo, disse a fonte comenta que finalmente estão sendo despedidos estagiários ou pessoas com contrato de trabalho, que são os que ganham menos, mas às vezes são os que mais trabalham. A fonte também menciona um estágio de “projetos malucos e absurdos e contratações massivas“. Deixamos vocês com a carta.

Estamos fartos das mentiras de que a administração está tentando se infiltrar como “a outra versão” das demissões da BQ. A única coisa que está aparecendo nas notícias e nas redes é a parte do suporte técnico que está em Rivas, já que são 800 pessoas lá e é quem está levando a pior parte. Mas a realidade é que Eles estão atirando * indiscriminadamente * em todos os departamentos dos escritórios centrais em Las Rozas (há três edifícios).

Em Rivas, eles estão organizados, têm um sindicato e podem usar a força para negociar. Mas aqui em Las Rozas estamos sozinhos. Departamentos de software, hardware, recursos humanos, finanças, marketing, em todos eles todos os dias uma ou duas pessoas caem. Em duas semanas já somos mais de 20, perdemos a conta porque tudo o que sabemos é o que se fala na cozinha ou se ouve nos corredores. Isso não faz parte do ciclo de vida da campanha de Natal, não são contratos temporários que terminam na primavera quando há menos trabalho. Tem gente aqui que já está aí há muito tempo e que, de um dia para o outro, tira o computador e leva embora.

Eles pediram a todas as equipes para procurar o que cortar e decidir quem pode ser dispensado de nossos companheiros de equipe. Como muitos se recusam a decidir quem será o próximo, no final tomam-se decisões absurdas como demitir estagiários ou pessoas com contratos temporários, que ganham menos e, às vezes, são os que mais trabalham. Aqui estão os departamentos que são totalmente deficientes, P&D de produtos de software e hardware com centenas de pessoas que nunca tiram nada e estão cobrando muito dinheiro.

Embora milhares de celulares fossem vendidos por mês, dinheiro foi gasto pesadamente contratando pessoas para projetos megalomaníacos como uma tentativa fracassada de competir com o Spotify, brinquedos absurdos … Que bons momentos quando Ignacio Gonzalez veio parabenizar pessoalmente os gerentes da BQ por contratarem tantas pessoas. Quando há vacas gordas, é hora de projetos malucos e absurdos e contratações massivas. Agora que se vende menos, já que não fazem orçamentos nem querem pedir linhas de crédito aos bancos e querem viver apenas daquelas que entram à vista com a venda de celulares, é hora de cortar porque não há dinheiro.

Onde estão aqueles projetos malucos que tiveram que ser fechados porque foram arruinados? Agora cabe aos pobres pagar pelos patos. Pena que uma empresa tão grande seja administrada sem nenhum rigor, sem saber quando algo dá lucro ou não, contratar a torto e a direito quando há dinheiro e quando não há, demitir com o mesmo pudor. Uma pena, a atmosfera é horrível em todos os departamentos, todos os dias os colegas deixam seus lugares e aplausos e lágrimas se ouvem quando as pessoas vão embora … as pessoas estão com medo Bem, não se sabe quando será o próximo. Obrigada BQ, pelos bons momentos, uma pena que vamos acabar assim, na rua. Agora é hora de procurar trabalho colocando no cv que viemos da BQ mas que não nos jogaram, não, teremos que mentir e dizer que saímos. Vou para o exterior, na Espanha tudo é uma merda.

Um abraço e encorajamento aos colegas.