Digitel não sai da Venezuela

3 de agosto de 2017

“A Digitel não sai da Venezuela, continuamos trabalhando pelo país”. Foi o que afirmou esta quarta-feira o vice-presidente da Digitel, Luís Bernardo Pérez, após a medida de congelamento do reajuste tarifário do Executivo nacional. O representante da Digitel garantiu que ontem à noite foram instaladas algumas mesas de trabalho na vice-presidência da república para estudar os impactos do aumento “, acrescentou que a apresentação dos empresários” sensibilizou os presentes “.

“Acreditamos que o aumento das taxas seja justo, o que permite à empresa investir 25% do seu faturamento anual em tecnologia. Cada bolívar que o usuário investe é usado para melhorar o serviço prestado ”, explicou Pérez por meio de entrevista transmitida pela Rádio Fedecámaras.

Ele garantiu que é preciso criar “um espaço para denunciar as necessidades das empresas de telecomunicações”.

Disse ainda que para as empresas do setor “é impossível que uma operadora que cobra 10% do seu custo subsista ao longo do tempo”, diz Pérez que isso poderia gerar conflitos maiores do que os que ocorrem em diferentes setores do país, além “As consequências são muitas e entre elas, suprimindo funções que eram essenciais”.

A Comissão Nacional de Telecomunicações (Conatel), a pedido do presidente, Nicolás Maduro Moros, esta terça-feira, pediu às operadoras Telefónica Venezolana, CA e Corporación Digitel, CA que suspendessem imediatamente o reajuste tarifário publicado neste dia 1 de agosto na imprensa nacional.

Fonte: Universal

[+] Videos de nuestro canal de YouTube