A Apple e sua luta contra o Windows se repete contra o Android

A lucratividade do iPhone da Apple derrota o Android do Google

O sistema Android do Google continua sendo o sistema operacional móvel mais popular em todo o mundo, de acordo com o IDC Android tem sólidos 81,5% do mercado de smartphones em 2014. Apple, iOS, veio em um distante segundo lugar com a participação de 14,8%.

A lucratividade da Apple com o iPhone é líder com 89%

Mas se quisermos falar sobre lucratividade, Apple está posicionado como líder com 89% de todos os lucros com smartphones no mundo em 2014, ante 70,5% em 2013, de acordo com a Strategy Analytics. A participação do Android nos lucros caiu de 29,5% para 11%.

Os dispositivos Android são vendidos com margens baixas que garantem sua participação, o que pouco significa para os resultados financeiros dos fabricantes de hardware.

A Apple é indiscutivelmente a única fabricante de smartphones no mundo a lançar a venda de hardware de gama média a um preço de primeira linha. O iPhone 6 tem um processador mais fraco, bateria menor, menos RAM, uma tela de resolução mais baixa e câmeras mais fracas do que as da Samsung com seu Galaxy S5.

Porém, A Apple conseguiu vender mais telefones a preços mais elevados. A IHS revelou que o iPhone de 16 GB custa apenas US $ 200 para ser fabricado e é vendido por US $ 649 desbloqueado. Em comparação, a IHS notou que o Galaxy S5 de 32 GB custa US $ 256 para fazer e que é vendido por US $ 650 desbloqueado.

Dispositivos Android são vendidos com margens baixas para impulsionar as vendas

A análise IHS indica que A Apple ganha cerca de 69% de margem bruta para cada iPhone vendidos, mas as margens brutas reais são menores devido a grandes despesas, como desenvolvimento, marketing e custos de envio. O Credit Suisse estima que, após esses custos, o iPhone 6 de 16 GB chegue a custar US $ 350,60 para ser produzido, com US $ 649 recebidos, o que dá uma margem bruta de 41,5%.

O impressionante Lucratividade da Apple é uma má notícia para os fabricantes de telefones Android, que têm lutado para se destacar em um mercado em retração.

No ano passado, a Samsung, maior fabricante mundial de Android, cedeu participação de mercado para rivais chineses como Xiaomi, Lenovo e Huawei, que estão dispostos a vender smartphones com margens muito menores. Entre o quarto trimestre de 2013 e 2014, a participação de mercado global da Samsung caiu de 30% para 20%. Isso significa que a Samsung está perdendo o controle de um mercado que também está em declínio em termos de lucratividade geral.

A Samsung espera que seu próprio sistema operacional Tizen forneça uma saída, mas até agora este sistema operacional foi instalado em um modelo de smartphone até agora. Ultimo quarto, lucro na divisão móvel da Samsung caiu 64% Em relação ao ano anterior.

Enquanto isso, rivais menores do que a Samsung, como Sony e HTC estão passando por um momento ainda pior. Em vez de cortar preços, a Sony decidiu vender menos telefones a preços mais altos para preservar as margens, mas essa é uma estratégia arriscada que só poderia causar uma morte lenta para sua divisão móvel em dificuldades. A HTC está tentando diversificar sua linha de produtos em câmeras e tablets de ação, mas esses produtos provavelmente não a impedirão de ser esmagada por marcas chinesas, Samsung e Apple.

Tanto a Samsung com Tizen quanto HTC com Windows Phone, estão considerando uma possível saída com esses sistemas operacionais, mas a rentabilidade é ainda pior segundo dados da própria Microsoft. Um relatório da Strategy Analytics afirma que o Windows Phone, BlackBerry e outras plataformas não tiveram nenhum lucro em 2014.

Se o Google não tivesse vendido a Motorola Mobility para a Lenovo, ainda estaria competindo com outros fabricantes de dispositivos Android no fundo do mercado. A falta de lucratividade do Android não parece ser um grande problema para o Google, que monetiza o Android por meio de vendas de anúncios e busca de aplicativos, mas há consequências indiretas a serem consideradas.

Conforme o hardware do Android se torna menos lucrativo, fazendo com que empresas como Samsung, Sony e HTC procurem novas formas de monetizar o sistema operacional e reduzir o Google. A Samsung, por exemplo, já lançou sua própria loja de aplicativos para combater o Google Play. A Samsung também comprou a empresa de pagamentos LoopPay em fevereiro (usada em seu Galaxy S6 e S6 Edge), em uma aposta clara para competir com o Google Wallet e o Apple Pay. Assim, os aliados de hardware do Google poderiam começar a puxar o ecossistema do Google para melhor monetizar seus próprios dispositivos.

A falta de lucratividade do Android não parece um grande problema para o Google

É notável que a Apple atualmente tenha uma mistura mágica de altas margens e altas vendas que seus rivais não conseguem alcançar. O Google originalmente pensava que o fornecimento de software gratuito para telefones marginalizaria a Apple, mas o mercado do Android está saturado com dispositivos de baixa margem. Se os fabricantes de telefones Android não conseguirem lucrar, eles vão procurar novas maneiras de ganhar dinheiro – e algumas dessas estratégias podem ser sair do sistema do Google.

É então que o Android está em declínio real?